Ligue
4007-2180

Se Aventure nas Belezas Naturais da Chapada Diamantina

Encontre Sua Viagem Encontre Sua Viagem Encontre Sua Viagem Encontre Sua Viagem

 

Chapada Diamantina, até os dias atuais, não foi completamente desvendada. Some a essa imensa natureza, formações geológicas raras; conhecimento dos antigos caçadores de riquezas; e dos qualificados guias locais. E poderá entender por que a região é uma das mais impressionantes viagens do ecoturismo nacional. Com enorme potencial de revelar novos encantos.

 

As jazidas de diamantes que dão nome a região foram encontradas , em 1845, nos Rios Mucugê e Lençóis. A exploração dos brilhantes teve contribuição para que se construísse a cidade de Lençóis, que já foi conhecida como Vila Rica da Bahia. A partir de 1871, a extração de pedras de altíssimo valor na Africa do Sul, a preços mais baixos que as do Brasil, fez com que esta região da Bahia - e também a de Diamantina, em Minas - chegasse ao colapso econômico.

Criado em 1985, com a intenção de proteger parte da região da ameaça do garimpo, o Parque Nacional da Chapada Diamantina, local onde visitação é permitida, ocupa uma pequena parte da área total da Chapada e é onde está tudo o que o visitante pode descobrir.

Chapada Diamantina.

 

Os demais atrativos se encontram em propriedades particulares, áreas de proteção ambiental e parques municipais.O Parque estende-se pelos municípios de Lençóis, Andaraí, Mucugê, Ibicoara e Palmeiras. Também invade o diminuto distrito serrano de Xique-Xique do Igatu.

#O recomendado para quem quer fazer as trilhas e estar em contato maior com a natureza é ir na época em que não ocorrem chuvas, entre maio e setembro, no meio do ano, período no qual  dificilmente chove e os dias são mais claros.

As grutas Azul, do Poço Azul e do Poço Encantado capturam a incidência de raios de sol que deixam suas águas azuladas. As chuvas de verão (novembro a janeiro) podem enlamear as trilhas, mas deixam as cachoeiras caudalosas.

Entre março e maio, após as chuvas de verão, a Chapada se torna verde exuberante e a vista bastante deslumbrante para as cachoeiras que se tornam mais cheias, como a da fumaça, uma das principais.

Poço Encantado - chapada diamantina

 

É difícil encontrar tempo suficiente e tirar férias tão longas para poder deslumbrar tantas cachoeiras, grutas, poços, rios, fazer trekkings e conhecer cidadezinhas. Ao ir a Chapada pela primeira vez, não se preocupe! Você vai querer voltar outras vezes.

Numa primeira incursão, escolha o passeio ou roteiro de viagem que competem mais com o seu perfil. Sem carro, e querendo se aventurar por uma semana, o ideal é montar ou encaixar-se em algum dos pacotes "volta à Chapada", das agências de ecoturismo, como Venturas, Freeway, Volta ao Parque, Nas Alturas, Fora da Trilha, Terra Chapada e Chapada Adventure. Assim, você garante que seu tempo seja aproveitado e sem perrengues.

Um bom planejamento faz toda a diferença e, muitas vezes, os pacotes turísticos compensam. Caso queira fazer roteiros específicos ou dedicar mais tempo a determinadas atrações tente, ao menos, viajar em grupo: na Chapada Diamantina, ir sozinho, pode sim, ser sinônimo de custo mais alto.

A Chapada Diamantina é também conhecida pelas cavernas. A mais famosa é a Torrinha, com enorme diversidade de formações espeleológicas, como as agulhas de gipsita e as flores de aragonita, formadas após centenas de anos de transformações na rocha. Essa gruta é concorrente em beleza com outra, a Lapa Doce, terceira caverna do país em tamanho, que se prolonga por quase 18 quilômetros.

Caverna torrinha

 

Até outubro, os visitantes podem interagir por meio das diversas atividades que a natureza da região favorece, como  trekkings, passeios de barco, canoa, carro ou bicicleta, cavalgadas, escalada, rappel, tirolesa e cave jump. Mas não é necessário se render a tais atividades adrenalizantes para aproveitar o lugar. A fauna te presenteia e encanta, ao se observar beija-flores, papagaios, periquitos, lagartos e até suçuarana. Enquanto à flora se destaca com orquídeas, bromélias e cactos.

 

Veja também:

5 destinos para amantes de esportes radicais no Brasil

Explore os patrimônios mundiais da humanidade no Brasil

8 destinos ideias para o Dia dos Namorados

 

Lençóis

A cidade de Lençois costuma ser ponto de partida para as demais atrações na Chapada, por estar próxima do aeroporto e os atrativos clássicos, como Morro do Pai Inácio e Grutas Lapa Doce e Pratinha. E é lá que está a melhor infraestrutura de hospedagem, restaurantes e serviços.

Aos que procuram economizar , há alternativas como a Pousada Bosque do  Lapão, onde há um apetitoso café colonial e pratos típicos do sertão baiano.

E não ache que neste maravilhoso lugar só existe vatapá e bobó de camarão. No restaurante Cozinha Aberta Etnia, há pratos que misturam as culinárias tailandesa, indiana e a marroquina.

Cozinha aberta etnia

 

Vale do Pati

Se em Lençóis há permissão até para que os sedentários convictos aproveitem, o Vale do Pati é para quem quer desbravar o coração da Chapada com as caminhadas. O que recompensa é o panorama fantástico que apenas quem se aventura e adentra os confins do parque poderá registrar.

Trekking no Vale do Pati - Os roteiros mais curtos são de 3 ou 4 dias dando-se volta por Guiné (80 km de Lençóis), e os mais completos  levam de 5 e 8 dias.

#Roteiro indicado para você que se entrega ao trekking

São em média 80 km de trilha para atravessar o Vale do Pati. Os trilheiros passam a noite em casas de moradores. Considerado um dos trekkings mais belos do Brasil, este trajeto é feito em 4 noites e o roteiro abrange ainda 2 noites em Lençóis e 1 noite no Vale do Capão.

Vale do Pati

 

Vale do Capão

Esse é o único destino da Chapada que não possui status de vilarejo histórico. A vila se faz por uma rua e uma praça. Quem vai para Capão está em busca do contato mais próximo possível com a natureza; por isso são várias as pousadas que estão no meio do mato ou nas montanhas.

O Vale do Capão é cercado por serras. Fascinante! O clima esotérico faze parte do cotidiano desse lugar. Foram trazidos por jovens envolvidos pelos movimentos dos anos 70. Hoje, muitas pessoas chegam das grandes cidades à procura de autoconhecimento, espiritualidade, contemplação e uma vida mais naturalista. E ainda é possível provar o pastel de palmito de jaca e a pizza integral. Ainda é possível fazer tratamentos da medicina holística à base de ervas e plantas medicinais, sessões de sauna indígena e massagens de shiatsu. Do Vale do Capão, se pode ter acesso a alguns dos pontos mais famosos da região, como a Cachoeira da Fumaça e o Morrão.

Em julho acontece o Festival de Jazz do Capão; com os mais renomados músicos brasileiros.

 

Onde ficar no Vale do Capão

Hotel Vale do Capão

A quase 10 minutos de carro na direção da mata, na Pousada do Capão há a proximidade com a natureza e a vista belíssima para as montanhas; nos fundos do terreno, passa um riozinho que serve de piscina. As instalações vão do básico ao luxuoso, com muitas opções intermediárias.

Mais adentrada na mata, a Pousada Candombá tem quartos privativos e coletivos e está a em local ideal para iniciar caminhadas.

Clique aqui para saber como chegar à Chapada Diamantina.

Pesquise os preços de passagens aéreas para Salvador

Encontre hotéis e pousadas na Chapada Diamantina.

 

Confira essa opções de hospedagem:

Hotel Lençois

Hotel Canto da Águas

Pousada Solar Azul

Pousada Lavramor

Pousada Bons Lençois

 


Já se hospedou ou quer se hospedar nestas maravilhas da Natureza? Deixe seu comentário, conte para gente, tire suas dúvidas!

A Encontre sua Viagem possui os melhores preços em hotéis e voos e as melhores promoções. Entre em contato, tenha o melhor suporte e feche sua viagem.

gleicymendes@encontresuaviagem.com.br;  (11) 99422-3707

Curta nossa Fanpage e receba as melhores promoções!

E  Boa Viagem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Passagens

Ocultar

Pesquisar

Receba ofertas exclusivas no seu e-mail